in

AmeiAmei OMGOMG InteressanteInteressante

10 lições de vida que aprendi com meu Galgo Italiano

As lições de vida significativas que aprendi com meu cachorro, um Galgo Italiano.

Você já assistiu ao filme “Marley & Eu”, baseado no best seller do jornalista John Grogan, Marley & Eu: A Vida ao lado do pior cão do mundo?

É uma história de um casal recém-casado que aprende lições de vida importantes e valiosas de seu cão adorável, um labrador chamado Marley.

Marley, descrito no livro como “o pior cão do mundo”, era um tanto indisciplinado, impertinente e por vezes neurótico. Mesmo assim conseguiu marcar a família Grogan para sempre com lições de vida significativas.

De alguma forma todos os cães fazem isso por nós, transformam-se em nossos terapeutas e nos lembram coisas simples (mas valiosas), como o quanto ficamos focados em pequenas tarefas e perdemos contato com as coisas importantes da vida.

Três anos atrás um cachorro entrou em minha vida e, como Marley, tornou-se especial e um dos membros mais importantes da minha família.

Estou falando do Gordo, um Galgo Italiano de origem egípcia que teve a raça oficializada na Itália (apesar do nosso ter vindo do Rio de Janeiro mesmo).

Sendo sincero, ainda tenho dúvidas sobre sua origem e algo me diz que ele está mais para um cruzamento de gazela com canguru.

De toda forma, Gordo, assim como Marley, tem me ensinado muitas lições importantes ao longo desses anos.

Lições que decidi compartilhar com você e podem te inspirar a olhar para a vida (e para seu cachorro) de uma maneira diferente.

 

Continue lendo esse artigo e descubra quais são as 10 lições de vida que aprendi com meu Galgo Italiano.

 

Lição #1. Faça pequenos sacrifícios por quem você ama e ama você

 

@gordotheiggy

 

As primeiras noites com nosso Galgo Italiano não foram fáceis. Com pouco mais de 50 dias, ele ainda estava apegado à mãe e tudo parecia muito novo.

Gordo recusava-se a dormir na área que havíamos determinado, um local confortável e quentinho onde nosso outro cão, Max, dormia regularmente.

Ele chorou a noite inteira e parecia estar mais interessado em passar a primeira noite na cama conosco. Mas isso não era possível por duas razões:

Primeiro, morávamos em Recife e lá é impossível dormir sem ar condicionado. A temperatura do quarto estava naturalmente baixa demais para um filhote de Galgo Italiano (eles sentem muito frio).

Segundo, a cama era muito alta para ele. Galgos nessa idade ainda estão em processo de fortalecimento dos ossos e a queda da cama poderia machucá-lo gravemente. Com segurança, um galguinho só pode pular de áreas altas após 6 meses de vida.

Aprendemos naquele momento a importância em fazer concessões em alguns momentos da vida. Pequenos sacrifícios que nem sempre são o que queremos, mas beneficiam alguém que amamos.

Preparamos uma cama improvisada no cantinho do nosso quarto e desligamos o ar condicionado. Dormimos por noites em uma temperatura escaldante para nós, mas confortável para ele.

 

Lição #2. Explore tudo e anime-se com as pequenas coisas

 

@gordotheiggy

 

Filhotes são por natureza curiosos, multiplique isso quando pensar no Galgo Italiano. Cães de caça, eles possuem um faro poderoso, uma visão fantástica e exploram ao máximo toda área que ocupam.

Jamais saia de casa sem antes retirar o lixo, vá por mim.

Ao mesmo tempo eles são definitivamente uma raça alegre. Ficam animados com qualquer coisa, desde uma mosca voando pela casa até o próprio rabo, que tentam morder insistentemente.

Percebi através do Gordo como nós acabamos focando em grandes projetos e esquecemos de comemorar as pequenas conquistas. Por isso, acabamos reclamando da vida mesmo com tantos motivos para ser grato.

Ao mesmo tempo, vivemos com tantas preocupações que esquecemos de valorizar pequenas atitudes, como um bilhete carinhoso deixado pela esposa, ou uma ligação feita por alguém da família.

 

Lição #3. Aprecie todas as refeições como se fosse a última

 

@gordotheiggy

 

Antes do Gordo já vivíamos com o Max, nosso Pastor de Shetland 5 anos mais velho. Como um bom Sheltie, Max passava por todo um processo para comer toda ração.

Ele tirava grão a grão do prato, colocava sobre o chão e comia. Entre grãos, ele dava uma volta pela casa, retornava ao prato e continuava um processo que parecia não acabar nunca.

Bem, ao menos isso era o que acontecia até um Galgo Italiano chegar em nossas vidas.

Não demorou muito para o Max perceber que, ao deixar o prato e iniciar sua “peregrinação pela casa”, ele descobria logo depois que seu jantar havia “misteriosamente” desaparecido.

Galgos comem com gosto, levam sua comida a sério e defendem seu prato com unhas e dentes.

Depois das refeições Gordo ainda vive alguns segundos de deleite, como que apreciando e agradecendo pela refeição que acabou de receber.

Até hoje ele tem seu cantinho na casa onde vai comer seus petiscos com a certeza de não ser incomodado e deita por longos períodos, de lado, fazendo feliz a digestão.

Isso me faz lembrar o dia que ele surrupiou 500g de peito de frango congelado que estava na pia (e seria meu almoço).

Quando dei conta do ocorrido ele já estava deitado de lado em sua cama, com a barriga estufada como se estivesse gerando um Alien.

 

Lição #4. Descanse o quanto precisar, desde que você esteja pronto para a próxima aventura

 

@gordotheiggy

 

Galgos dormem muito. O nosso dorme em média 16 horas todos os dias! E mais, essas horas de sono aumentam à medida que ficam mais velhos.

O sono do Galgo Italiano não é leve, pelo contrário. Com chuva, sol, trovões e fogos de artifício, Gordo permanece embaixo das cobertas como se nada estivesse acontecendo.  

Curiosamente, esses longos descansos parecem prepará-lo para o que virá.

Mesmo aparentemente “apagado”, ele fica instantaneamente elétrico ao ouvir as palavras “passear” ou “comer”.

Chega a ser engraçado como ele sai das cobertas em um segundo, se sacode e espreguiça para despertar, e logo está pronto para a próxima aventura.

 

Lição #5. Comece cada dia com uma boa espreguiçada

 

@fred_valoz

 

Seus pais ou avós já lhe disseram que um bom alongamento ao acordar faz bem e lhe deixa mais disposto durante o dia? Meu pai dizia isso mas nunca levei a sério.

Só me convenci ao observar o comportamento do meu Galgo Italiano, que aparentemente possui uma sabedoria maior que a minha.

Eles possuem um corpo esguio e com mais ossos que qualquer outra coisa. Para eles uma boa espreguiçada é essencial e só vale quando as articulações estalam ao mesmo tempo!

Junto vem um bocejo gostoso e uma sacudida no corpo para finalmente despertar. Sim, sempre nessa sequência.

Não demorou para eu começar a imitá-lo todas as manhãs. E pasmem, deu certo! Meu corpo parece despertar mais e, segundo minha esposa, até meu café fica pronto mais rápido.

 

Lição #6. Cumprimente cada pessoa que você encontrar com entusiasmo

 

@estiloruffruff

 

Quando mudamos para Curitiba ouvimos boatos sobre a receptividade das pessoas na região. Nada relacionado a falta de educação, mas à característica mais reservada do curitibano.

Gordo conseguiu quebrar esse gelo no primeiro passeio. Ele é, de uma maneira impressionante, o cachorro mais amigável e entusiasmado que conheço.

Ele não balança o rabo, balança o corpo todo! Isso e os constantes pulos de canguru conferem ao Gordo uma capacidade de quebrar gelos e extrair sorrisos de quem passa.

Aprendemos com ele que não importa como um terceiro se aproxime, sempre é possível arrancar um sorriso de alguém quando você o cumprimenta com um entusiasmo genuíno.

E as vezes isso é tudo o que o outro precisa para ter um dia mais feliz.

 

Lição #7. Apoie aqueles que precisam de um amigo

 

@estiloruffruff

 

Max já estava com 5 anos quando Gordo entrou para a família.

Como todo Sheltie, Max sempre foi sensível, apreensivo e desconfiado. Trabalhávamos fora o dia inteiro e nesse período Max ficava sem companhia.

Essas características, somadas à solidão por boa parte do dia, faziam Max um cachorro mais neurótico e menos empolgado a cada ano.

Acredite, um Galgo Italiano pode ser o complemento perfeito para uma família com um cão solitário.

A energia do Gordo rapidamente contagiou Max, que aos poucos recuperou a alegria de quando era apenas um filhote.

Gordo parece sentir que Max precisa de um empurrão, quando de repente caça um brinquedo pela casa, solta na frente do Max e o convida insistentemente para brincar.

A insistência é tão grande que muitas vezes Max levanta rosnando como quem diz “seu moleque, agora lhe darei uns cascudos!”.

É quando a correria e alegria tomam conta da casa!

Claro, como líder do Max eu percebia essa alteração de energia. Mas é como se o Gordo tivesse uma sensibilidade maior a ponto de perceber os momentos certos de dar uma energizada no amigo.

Aprendemos com ele a perceber esses detalhes, sair do nosso mundo e entrar no mundo dos cães. Assim podemos entender melhor o que eles sentem e tentam nos dizer.

Hoje eles são inseparáveis.

 

Lição #8. Não guarde rancor por muito tempo

 

@estiloruffruff

 

Cães (não importa a raça) vivem o momento. Eles não lembram do passado nem se preocupam com o futuro. Para eles toda energia deve ser depositada no presente.

Quando nossos cães brincam eventualmente ouvimos um grito (normalmente vindo do Gordo) por conta de um esbarrão ou algo parecido.

Nada que uma rápida rosnada não resolva, para logo depois voltarem a brincar como se nada tivesse acontecido.

Por estarem ligados ao momento é muito fácil perdoar.

Descobrimos através deles que essa maneira de encarar a vida torna o ambiente mais leve e as pessoas mais felizes. Afinal, o que ganhamos guardando rancor?

 

Lição #9. Brincar é muito legal

 

@estiloruffruff

 

Você às vezes chega em casa com a cabeça carregada de problemas do trabalho?

Sua tensão aos poucos toma conta do corpo, gera sintomas desagradáveis e acaba afetando sua relação conjugal ou com seus filhos?

Isso também acontecia comigo.

Eu achava que deitar no sofá e ligar a TV era tudo o que precisava, mas descobria rapidamente que os problemas continuavam, me perturbando durante os comerciais.

Gordo me ensinou que nesses momentos é preciso esquecer os problemas e concentrar em coisas positivas. A TV não tem o poder de fazer isso por você, mas seu cachorro tem!

Tornou-se para mim uma rotina, ao chegar em casa, brincar um pouco com meus cachorros.

As vezes jogo um brinquedo e, enquanto eles buscam, corro pela casa e me escondo em algum lugar. É divertido ver como eles me procuram desesperadamente e jamais desistem.

Outras vezes brincamos de cabo de guerra usando uma corda, ou apenas corremos pela casa para extrair latidos e extravasar aquela energia acumulada (algumas vezes com uma música no fundo, Max gosta do Bob Marley).

 

Lição #10. Quando alguém está tendo um dia ruim, dê apoio

 

@gordotheiggy

 

Nosso Galgo Italiano possui uma incrível sensibilidade para perceber quando algo está errado. Nesses momentos ele deixa suas necessidades de lado e identifica rapidamente o que preciso.

Um abraço, latido, lambida, distração, ou somente dele por perto. Ele dará o que precisamos na medida certa, até sentir que nossa energia melhorou.

Acho que por isso o cão é considerado o melhor amigo do homem. Eles possuem um desejo nato de fazer a nossa vontade, mesmo que não seja exatamente o que eles gostariam para aquele momento.

 

Conclusão

 

Minha expectativa é que você, ao ler estas 10 lições, tenha identificado no seu cachorro os mesmos poderes e qualidades que identifiquei no meu. E que essas lições inspirem você a enxergar os cães (e a si mesmo) de uma maneira diferente.

Ao mesmo tempo, espero ter ajudado os curiosos sobre o Galgo Italiano a conhecer de uma maneira nova as características de uma raça que me inspirou tanto. Com tantos artigos técnicos, achei legal contar um pouco sobre a vida na prática ao lado de um galguinho.

Por fim, convido você a conhecer um projeto que nasceu através dessa relação, e teve sua logomarca e criações inspirados no Gordo. Clique aqui para conhecer a Ruff Ruff.

E não esqueça de compartilhar esse artigo com quem precisa enxergar seu cachorro de uma maneira diferente. 🙂

Também compartilhe com a gente o que você aprendeu com seu cachorro, escreva nos comentários.

O que você achou??

10 points
Upvote Downvote
Ruff Ruff

Escrito por Ruff Ruff

Em tudo o que fazemos nós acreditamos em desafiar o tradicional pensando o estilo de vida com nossos cães de forma diferente. Desafiamos o tradicional criando produtos muito bem projetados, feitos para durar e que proporcionam momentos especiais entre você e seu cão. Acabamos naturalmente fazendo produtos fora de série para cachorros, mas pensando no estilo dos donos. Quer conhecê-los?

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comments

PET FRIENDLY: a diferença entre receber e aceitar

Cachorro mancando? Conheça as principais causas