in

AmeiAmei OMGOMG TristeTriste BravoBravo

12 histórias provam que adotar é tudo de bom

Confira 12 histórias emocionantes de adoção, não temos dúvidas que adotar é tudo de bom para o peludo e seu humano.

4 de outubro é o Dia Nacional de Adoção de Animais ou também conhecido Dia de São Francisco de Assis, a data é em sua homenagem porque ficou conhecido por se preocupar com os animais e com o meio ambiente. E com uma ligação religiosa, Igrejas de todo mundo abençoam animais neste dia.

Para comemorar a data, nós da Petiko pedimos em nossas redes sociais que as pessoas compartilhassem suas histórias de adoção. Recebemos muitas pela #adoteipetiko, pelo direct e inbox do Facebook. Selecionamos algumas. São histórias emocionantes de como o amor faz bem.

 

RALPH

@ r_a_l_p_h3

Eu tinha uma “família”, mas eles estavam muito bravos comigo por que eu era muito agitado e estava doente. Naquela madrugada eles iam viajar então, me levaram. Eu pensava que era para ir passear, mas quando eu vi, eles me jogando em uma avenida e correndo em alta velocidade no carro, eu percebi que eles não eram uma família de verdade, o dia amanheceu e eu fiquei lá em frente a uma borracharia com dores, fome, e frio então quando amanheceu uma menina me viu lá do outro lado da rua quase sendo atropelado pelos veículos que passavam. Então, ela me pegou e levou para a sua casa, cuidou de mim, me levou ao veterinário, passei 3 dias internado com a doença do carrapato, e hoje eu estou aqui feliz, alegre e de barriga cheia!! Todos dias agradeço muito a Deus por me dar esse lar maravilhoso.

 

SOL

@pugzinha_sol

Meu nome é Sol, antes era Trash. Meu antigo dono não me quis mais porque não dava cria a mais de 2 anos, minha sogra foi a minha primeira mãe me adotando e cuidando de mim. No dia 23 de junho eu fui o maior presente de aniversário da minha atual mamãe. Eu estava grávida de 2 lindas bebês, infelizmente 1 faleceu. Eu era muito infeliz e triste, hoje estou muito aulegre na minha nova família e com a minha bebê Amora.

 

DORINHA

@rodrigues3083

Eu, Dorinha, morava em uma casa bem humilde com muitos outros cachorrinhos, é todos nós não éramos bem tratados pela nossa antiga dona, porém teve um lindo dia em que eu fui finalmente solta, consegui me soltar da coleira e consegui sair na rua, estava bem fraca pois meus donos não me alimentava, aí veio uma mocinha e me deu comida e atenção daí então recebi um carinho que eu não conhecia! Passou algumas semanas essa mocinha sentiu minha falta e segundo ela “não parava de pensar em mim”…

Daí então a mocinha foi me procurar na minha antiga casa e me viu amarrada por um fio de telefone dormindo dentro de uma geladeira velha e enferrujada, ela me resgatou, pediu autorização para minha antiga dona, e está tratando de mim com todo amor e carinho! Eu estou mais feliz do que nunca, estou fazendo tratamento para sarna, para me cuidando da desnutrição e tomando vitaminas! Já tenho uma casa um lar e um irmãozinho.

 

BRANCA

@marcellinhacosta

Dia 26 de outubro do ano passado, encontrei uma vira lata, a qual demos o nome de Branca, ela estava sangrando e ti já dificuldade pra respirar, meu instinto falou mais alto, a coloquei no carro e lei ao veterinário, foi diagnosticada com erliquiose “doença do carrapato”, então cuidei dela por 30 dias, mandei castrar e a adotei, hoje ela se chama Branquinha da Costa Lopes e é uma leide, que recebe todo amor do mundo.

 

MEGG

@ megghagen

Era um dia frio e chuvoso. Eu estava sozinha, tremendo.. no escuro. Clamava por atenção.. Chorava incessantemente! Não adiantou. Foi então que tive a brilhante ideia de gritar! Estava em uma rua sem saída que terminava em uma avenida movimentada, em função disso, o meu grito deveria ser estrondoso! Então, juntei todas as forças que me restavam e rugi como um filhote de leão!

Foi aí que minha humana despertou do sono e percebeu que algo estranho estava acontecendo… Quando repeti meu “berro” ela correu para buscar mais um cachorro atropelado na avenida pela janela, mas não encontrou. Ufa! Pensou ela! Foi só um susto! Mas o grito continuou a chegar… Foi quando ela saindo para trabalhar se deparou com um pacotinho de amor, escondida debaixo de um carro.. tremendo.. chorando.. Implorando por amor

Ela me pegou, me abraçou e pensou… Tô perdida! Não posso levar ela pra casa. Maaassss.. Papai do céu foi muito bom comigo e fez com todos se rendesse ao meu encanto e permitissem que ela me acolhesse… Mesmo não tendo espaço adequado pra mim. 

Eu cresci (muito mais do que esperavam), mas minha mãe fez de tudo para compensar a falta de espaço.. E assim, pude ter um lar cheio de amor, brinquedos, respeito, bagunça onde sou extremamente grata e feliz!

 

JACK

@jack_piratecat

Eu estava pela rua de um condomínio, sozinho e com sede, meu olhinho doía muito. Era uma fim de tarde e algumas crianças na rua me assustaram, então fui me proteger perto da porta aberta de uma das casinhas. O casal que estava no sofá me viu e me convidou pra entrar, fiquei com medo mas percebi que queriam me ajudar, então deixei eles me pegarem. Com a ajuda de outros tios muito legais meus papais cuidaram do meu olhinho, mas não teve jeito e tiveram que tirar ele de mim. Mas tudo bem, hoje eu sou um gatão forte e muito amado, mamãe e papai me amam muito e tenho muitas tias e tios que me adoram também.

 

MEG MARIA

@somostodosviralatas_

E aí galera, eu sou a Meg Maria, irmã da Maria Valentina, sou a segunda adotada da minha mãe, por conta da minha tia Bia, como todos já sabem ela é ótima em deixar minha mãe louca por conta de bichos que ela encontra! Bom, eu estava na faculdade, deitei no tapetinho da árvore de Natal e foram avisar minha Tia que eu estava lá, tremendo muito! Inicialmente minha tia pensou que fosse frio, não era, eu era bebê ainda é estava com cinomose! Correria da mamãe, da tia, de amigos e toda a galera que me ajudou a vencer essa doença, foi um tantão de gente viu?! Mas venci!

Sou muito forte e não desisto fácil! Tenho sequelas neurológicas (algumas reais e outras pra fugir das broncas) mas tenho muito amor, sou bravinha, cuido da mana Valentina, nado com minha irmã Maya… e minha melhor fisioterapeuta foi minha mana grandona! Sou saudável, sapeca, meu apelido é tremelique e sou conhecida na família como guerreira! Afinal eu venci o abandono e a cinomose! Meu nome Meg Maria Lui, ou Guguca, ou tremelique!

 

ALICE VITÓRIA

@somostodosviralatas_

Miiiiiiiau, bom dia! Eu sou Alice Vitória, sou a única gata dessa família!

Desde pequena até antes da minha mãe @biialuui me encontrar eu sou cega, tenho catarata por desnutrição, mas minha mãe cuidou e cuida de mim muito bem, ela deu uma melhorada mas mesmo assim… hoje eu enxergo vultos, não tenho nitidez das coisas!

Lembro que quando minha mãe me pegou eu já tinha me entregado para para os anjinhos, Mas ela não desistiu de mim quando até eu mesma desisti! Lembro que nosso primeiro contato foi por cheirinho, quis sentir o cheiro dela pra nunca esquece lá!

Eu tinha medo de andar, por isso vivi no guarda roupas da minha mamãe, por um bom tempo até me acostumar, nem fazia barulhos e o pai dela, meu vovô foi descobrir depois de 1 semana que eu estava ali hahahahahahahaha Mas foi sorte dele porque eu estava saindo para fazer meu xixizinho e já estava voltando para minha casinha!

Até as minhas irmãs novas chegar eu tinha sossego e não deixava ninguém em paz, hoje com elas (Ana e Manu) só quero ficar em cima das coisas eu não posso descer que esses projetos de Yorkshire vem af! Bom eh isso! Fui adotada e hoje tenho uma vida de rainha! Tenho minha própria casinha, na verdade tenho 3 hahahahaha. E mais eu não gosto de outros gatos! Eu sempre disse pra minha mãe que sou um cachorro e ela não acredita!

Odeio gatos! Bom… Obrigada mamãe por não desistir de mim, quero viver sempre do seu lado!

Ps: eu sou muito apegada a ela mesmo! Por mais que às vezes a noite eu me assusto e já deixei 2 cicatrizes no rosto dela  mas ela sabe que não é por querer! E quando ela sai eu fico chamando e chamando ela, dá certo! Porque dali um tempo ela volta! Só as vezes quando ela vai viajar que eu tento ter um pouco mais de compreensão!  

Lambibeijos de linguinha áspera da Alice Vitória

 

JOLI

@jujudosantos

Essa é a Joli, adotada há 2 anos. Uma cadelinha que foi jogada na rua grávida e quando foi encontrada estava com seus filhotes mortos na barriga, ela quase morreu, mas se recuperou e foi colocada para a adoção. Em menos de 1 semana foi adotada e devolvida, até que veio parar em nossas vidas. Chegou magra, cheia de parasitas e com muito medo. Hoje ela está saudável e radiante, distribuindo seu amor para todos. Pensa em um animal carinhoso, é ela. Gratidão por você ter nos escolhido, não vivemos mais sem você!

Não comprem animais, adotem!!!

 

PINGO

@pingo_righettoramires

Minha mamãe canina..fugiu de casa e voltou grávida. Nasceu eu e mais três irmãos. Os papais dela estavam doando eu e meus irmãos. Papai viu o anúncio em uma página do Facebook..e ele e a mamãe foram me buscar logo quando mudaram para o Paraná (eu era o último). Mas eu era beem novinho..nem mamei direito. Fui pra casa cheio de pulga(elas picaram a mamãe ahhaha). E agora quase um ano e três meses depois…Tô aqui…reinando em casa

Veja a história dos seus outros irmãos adotados em @pingo_righettoramires

 

CALABRESA

@teogoldensauro

Hoje eu vim aqui para apresentar a Calabresa! Ela é minha irmã agora! Meio rabugenta, mas família a gente não escolhe, né! A Cala, como a chamamos, chegou aqui em casa há dois meses. Mamãe contou que encontrou ela na rua, muito assustada e machucada. Não deixava ninguém chegar perto. Só a titia vet @lucianaviotti que conseguiu ajudar a mamãe a resgatá-la. A princípio ela ficaria aqui em casa como lar temporário. Algumas pessoas tiveram interesse em adotá-la, mas quando a gente contava que ela era medrosa e que precisaria ter paciência com ela, as pessoas desistiam…. e aí, ela foi ficando…. foi ficando… e ficou. Agora ela virou parte da nossa família também! A minha irmã tem ansiedade e síndrome do abandono, mas ela está sendo medicada e a mamãe ainda está fazendo muito exercício com a tia Jô, da @soumaiscao com para que ela fique mais tranquila e independente. Ela está evoluindo muito bem. Não chora mais quando a mamãe sai de casa!

 

MAYA MICHELE

@iwittmann

Um ano de adoção. Há um ano a gente estava passeando na Paulista quando vimos que tinha uma feira de adoção no Conjunto Nacional. “Vamos só olhar?”, eu falei, sabendo que não existe tal coisa. A então Michele estava no cercadinho dos mais velhos, com seus dois anos e meio. Olhar doce, ela veio dormindo no meu colo de volta pra casa e pouco depois seu nome mudou para Maya (Maya Michele, pra respeitar o anterior hahaha).

 

Você também adotou? Conte sua história nos comentários 🙂

O que você achou??

3 points
Upvote Downvote
Equipe Petiko

Escrito por Equipe Petiko

Para pessoas que amam seu pet. Feito por pessoas que amam os seus.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comments

O que fazer com um pet atropelado, envenenado ou engasgado?

PET FRIENDLY: a diferença entre receber e aceitar