A Jornada de Ramba: Como Ajudar a Última Elefanta de Circo do Chile a Chegar ao Santuário de Elefantes Brasil

in ,

Conheça aqui a jornada de Ramba: saiba como ajudar a última elefanta de circo do Chile a chegar ao santuário de elefantes Brasil, após quase uma vida inteira de exploração.

Contaremos um pouco sobre a jornada de Ramba, a última elefante de circo do Chile e que precisa de ajuda para chegar ao santuário de elefantes Brasil, localizado no Mato Grosso.

Depois de quase uma vida inteira de exploração, a elefanta asiática Ramba finalmente pode ser transferida.

Reprodução: Internet

A Jornada de Ramba: A Última Elefanta de Circo do Chile

Adquirida pela indústria do entretenimento na década de 1980, na Argentina, a vida de Ramba não foi fácil.

…Se é que podemos chamar de vida o que ela teve até hoje.

Era obrigada a fazer apresentações em diferentes circos, nos quais, quando não estava no picadeiro, estava acorrentada.

Quando não estava acorrentada, estava sendo forçada a obedecer ordens.

Quando não estava obedecendo ordens, estava sendo punida.

Reprodução: Internet

Fora os intermináveis dias de viagem, transportada em um caminhão, sempre presa e sob processo de domesticação.

Na década de 1990, então no Chile, Ramba chegou a ser confiscada pelo Serviço Agrícola e Pecuário do país.

Isso se deu por conta dos abusos físicos e psicológicos que sofria, somados às irregularidades relacionadas à posse ilegal de animais.

Embora oficialmente confiscada, ela continuou sob poder do circo.

Parque Safári Rancágua

Quando a ONG chilena Ecopolis soube que Ramba estava na região, começou a campanha para seu resgate.

Mas, só em 2012, 17 anos depois, foi possível retirar Ramba do circo e das condições cruéis sob as quais (sobre)vivia. 

Desde então, ela foi abrigada no Parque Safári Rancágua, onde permanece em um pequeno celeiro até hoje.

O problema é que, além de sofrer com os invernos rigorosos da região, Ramba continua vivendo completamente sozinha, sem a companhia de sua espécie.

Tem abcessos na pata dianteira decorrentes do cativeiro e comprometimento renal e hepático.

Isso exige uma dieta balanceada e adequada – ela se alimenta de alfafa, pois só há feno de capim no sul do Chile e a preços muito altos.

Alfafa tem bastante cálcio e proteínas, mas não é indicada para Ramba por causa dos problemas renais.

Agora, aos 52 anos estimados, ela tem a chance de ter a vida que nós, humanos, tiramos dela. 

Transferência de Ramba – Como Ajudar

Após muitos anos, Ramba pode ser transferida para o Santuário de Elefantes Brasil

Isso foi graças aos anos de parceria e de trabalho do Global Sanctuary for Elephants e da organização chilena, e com a Licença Cites de Importação aprovada pelo IBAMA.

No entanto, para que a chance de uma nova vida se torne realidade, ela precisa de ajuda. 

Para colaborar com qualquer valor para o resgate de Ramba ou simplesmente divulgar a sua história, é só clicar aqui:  https://www.kickante.com.br/campanhas/jornada-ramba

Uma manada de gratidão a quem puder ajudar. <3

Texto relacionado: Ativismo Animal: 7 Perfis para Seguir no Instagram

Você já conhecia a história de Ramba? Conhece mais histórias de resgate animal? Conta pra gente aqui embaixo.

 

Carol Zerbato

Escrito por Carol Zerbato

Publicitária e ativista pelos direitos dos animais, Carol Zerbato já trabalhou com televisão e comunicação corporativa; foi locutora e repórter; e atuou como redatora e revisora. É criadora da Cachorra Carol - histórias em quadrinhos que retratam as relações humanos através do olhar de uma vira-lata, a fim de conscientizar a sociedade sobre a causa animal - e mãe de três filhos: Rachel, a mais velha, uma labralata; Deloris, a do meio, uma gata vira-lata adotada já adulta; e Ben, o caçula, um humano.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comments

Mais artigos como este:

Dicas para Viajar em Cruzeiros Marítimos com o seu Pet

Cães com Personalidade Forte: O Que Fazer?