in

AmeiAmei

Como ter um cachorro comportado em 3 etapas

Ter um cachorro comportado é o sonho de todo tutor, conheça três passos simples.

É verdade que ter um cachorro comportado é o sonho de muita gente. Livre-se dos problemas de comportamento, ansiedade e agressividade através de 3 etapas simples que transformarão a relação entre você e seu cachorro!

Ter um cachorro comportado e equilibrado é o sonho de muitas pessoas. 9 em cada 10 donos de cães sofrem com problemas de comportamento, ansiedade ou agressividade. Isso é um grande problema porque você jamais poderá inserir um cão desequilibrado na sua rotina sem fazer dela um caos.

Se você tem um cachorro que puxa durante o passeio, avança em outros animais, late excessivamente ou destrói as coisas em casa, você sabe do que estou falando.

Inserir cães equilibrados em nossa rotina, aproveitando ao máximo cada momento com eles é o que chamamos de Estilo Ruff Ruff. Mais que isso, é dar aos nossos cães uma vida completa, retribuindo à altura todo o amor incondicional que recebemos. Afinal, para ele o melhor é sempre estar perto de você.

Mas se você deseja ter um cachorro realmente feliz e equilibrado é essencial entender como os cães pensam e conhecer alguns segredos. E acredite, saber isso mudará para sempre a relação entre você e seu cachorro.

Se você quer conhecer esses detalhes e saber como transformar um “cão terrorista” em um cachorro equilibrado, continue lendo esse artigo e descubra como ter um cachorro comportado em 3 etapas.

Índice de conteúdo

  1. Você precisa entender esses sinais
  2. Cães só obedecem um tipo de gente
  3. Construindo os três pilares básicos
  4. Bônus

#1. Você precisa entender esses sinais

Via pixabay.com
Via pixabay.com

Você já reparou como, apesar de não falar a sua língua, seu cachorro possui uma forma particular de se comunicar? Grave isso: Todo cão possui um desejo nato de fazer a nossa vontade. Se hoje isso não acontece, é justamente pela dificuldade que ele possui em entender o que você deseja.

Nós humanos pensamos de uma maneira muito diferente dos cães. Para construir a melhor relação com o seu cachorro você precisa entender o mundo como ele entende, ver as coisas como ele vê, além de saber o que para ele é mais importante.
Em outras palavras, você precisa entender a língua dos cães!

a) Faça esse exercício

Comece processo apenas observando seu cão, mas com uma condição importante. Enquanto você assiste, não tente descobrir por que ele está fazendo o que está fazendo. Desligue a narração em sua cabeça e resista à vontade de atribuir emoções ou pensamentos humanos às ações do seu cão.

Vá em frente e dê um petisco para o seu cão, brinque com ele ou apenas observe enquanto ele caminha pela casa. Preste atenção à sua linguagem corporal, as coisas que despertam o interesse dele, o aborrecem ou deixam em estado de alerta. Se você tem mais de um cachorro, veja como eles interagem uns com os outros.

Não tente descobrir. Não tente descrevê-lo. Apenas assista.

Se você prestar atenção e não atribuir motivos ao seu cão, você ficará surpreso com a rapidez e com a forma como obviamente ele faz com que suas necessidades sejam conhecidas através de seus movimentos e linguagem corporal.

O seu cão está se contorcendo ansiosamente e olhando a porta? Ele provavelmente deseja passear ou fazer as necessidades. Ele está olhando em uma direção e depois para você? O que ele está olhando é o que ele quer. Ele está cutucando você ou tentando afastar o braço do computador? Ele quer atenção.

O seu cão pede todas essas coisas sem dizer uma palavra. Quando você escuta com seus instintos, então você recebe a mensagem certa. Nós erramos quando tentamos usar apenas nosso intelecto para entender o que nossos cães estão dizendo.

b) Cachorros não falam a nossa língua

 

Todo mundo já se pegou conversando com o cachorro como se ele fosse um humano. Você até pode pensar que está se comunicando com o seu cão quando fala com ele, mas não está.

Cães não têm habilidades intelectuais para entender ideias complexas, como as presentes em uma conversa entre humanos.

Imagine por exemplo que o seu cachorro esteja assustado. Você imediatamente se aproxima dele com voz de bebê e diz:

“Calma Max, está tudo bem”.

O que você acha que acontecerá?

O seu cão não entenderá que você deseja que ele supere aquele momento e melhore. Em vez disso, ele sente que você aceita o que está acontecendo agora, o que significa que o estado de espírito em que o cão está naquele momento é o que você está reforçando.

Se esse estado de espírito é medo, o que seu cão ouve você dizer é:

“Max, eu quero que você tenha medo”

A mesma ruptura acontece quando nos comunicamos com nossos cães emocionalmente. Por exemplo, seu cão começa a latir sem parar para alguém na rua. Você não gosta de latidos (é realmente irritante). Então você fica chateado e grita com seu cachorro:

“Max, cale a boca agora!”

Neste caso o que você acabou de fazer é latir junto com seu cão. Pior, acabou de ensiná-lo que você também gosta de latir.

Seu cão não entende o significado das palavras, apenas a intensidade de sua energia. Sua energia estava irritada e elevada, o que significa que seu cão recebe a mensagem:

“Eu preciso latir para mais coisas porque meu humano também está latindo”.

O bom comportamento vem da conexão que você tem com seu cão. Essa conexão vem quando você aprende como respeitar seus instintos e entender o que o seu cachorro tenta lhe dizer.

 

#2. Cães só obedecem um tipo de gente

Via pixabay.com
Via pixabay.com

Na natureza a maioria dos cães são seguidores, mas se não tiverem um Líder para seguir eles certamente tentarão controlar a situação. A falta de liderança forte deixa os cães em um estado mental desequilibrado e eles farão o que tiverem que fazer para satisfazer suas necessidades.

Em cães domésticos esse estado desequilibrado pode resultar em todos os tipos de comportamentos indesejados, incluindo ansiedade, destrutividade, latidos excessivos e agressividade. Esses problemas decorrem da falta de liderança firme, quando o seu cachorro tenta ocupar um lugar que não é por natureza o dele.

a) Para liderar você precisa ter a energia certa

 

Cães se comunicam com energia. Sendo assim, a nossa energia pessoal desempenha um papel central no nosso relacionamento com eles. Os cães são nossos espelhos, refletindo em seu comportamento a energia que nós expressamos.

Se somos hiperativos e excessivamente excitados, nossos cães serão iguais. Se estamos tensos e com raiva, nossos cachorros estarão ansiosos.

Ao contrário dos seres humanos, os cães não seguirão uma energia instável. Eles seguem instintivamente Líderes que exibem energia calma e assertiva.

Quando os cães vivem com um humano que não preenche esse papel, eles tentarão naturalmente corrigir o equilíbrio do grupo preenchendo esse papel vago de liderança.

É exatamente assim que os problemas de comportamento se desenvolvem.

Para estabelecer-se como o líder do bando você deve projetar energia calma e assertiva. Pense nisso como um conjunto perfeitamente equilibrado. De um lado é a sua liderança calma e assertiva; Por outro lado, o comportamento do seu cão é calmo e submisso.

Este equilíbrio nutre a estabilidade e cria um cão centrado e feliz.

b) Pratique

 

Faça respirações lentas e profundas. Relaxe seu corpo, mantenha a cabeça erguida, os ombros voltados para trás e o peito para frente. Observe como você está se sentindo. Em seguida, pratique esse estado durante o dia com seu cachorro.

Não se surpreenda se seu cão sentar-se espontaneamente ao seu lado ou seguir você onde quer que você vá. É porque você está se comunicando com seu cão usando apenas sua energia e linguagem corporal.

Lembre-se. Projetar uma energia calma não é uma nova habilidade a ser aprendida, é um traço humano natural a ser lembrado.

Dominar isso trará seu relacionamento com seu cachorro para um nível totalmente novo.

 

#3. Construindo os três pilares básicos

Via pixabay.com
Via pixabay.com

Se você realmente deseja um cão comportado e equilibrado, só existe uma forma de consegui-lo: dando direção e conquistando respeito.

Só existe uma forma de dar direção e conquistar respeito, você precisa estabelecer regras, limites e limitações.

a) Regras

 

As regras referem-se ao que um cão tem ou não permissão para fazer: pegar coisas da mesa, pular nas pessoas, puxar durante a caminhada. Quais são os comportamentos permitidos e proibidos na sua casa? O que você irá definir como regra a partir de hoje?

b) Limites

 

Limites controlam onde um cão pode e não pode ir: a cozinha e o quarto do bebê estão fora dos limites; não saia pela porta até que eu diga; você só pode entrar no meu espaço pessoal quando eu te convido.

Limites são sobre reivindicar território, eles ensinam o seu cão o que é ou não é dele. A área do seu cão está bem definida, ou ele é dono de toda a casa?

c) Limitações

 

Limitações controlam a duração ou intensidade de uma atividade: paramos de jogar bola quando eu digo; você está muito excitado, então é hora de voltar a um estado calmo e submisso. Quando você decide parar uma brincadeira e relaxar, o seu cachorro acompanha a sua energia?

 

#4. Bônus

Via pixabay.com
Via pixabay.com

Como bônus, vamos nos concentrar em estabelecer limites, ou seja, em ensinar seu cão onde ele pode ou não pode ir. Se você compreender como isso funciona, poderá aplicar os mesmos conceitos na criação de regras e limitações.

Quando você cria um limite, você está construindo uma barreira invisível e ensinando seu cão a não atravessá-la.

Aqui estão cinco dicas de como criar essa barreira:

a) Reivindique seu espaço

 

Se você já observou cães interagindo, provavelmente percebeu como eles reivindicam seu próprio espaço. Eles fazem isso fisicamente, com linguagem corporal e energia. Um cachorro consegue passar a mensagem “isso é meu” sem recorrer a latidos e sem precisar mostrar os dentes.

Um cachorro defendendo um brinquedo ou uma tigela de comida provavelmente vai ficar acima dela, muitas vezes inclinando a cabeça para baixo de forma protetora. Se um cão quer reivindicar aquele espaço físico, certamente vai entrar nele e empurrar o outro cão para longe.

Para reivindicar seu espaço você tem que fazer a mesma coisa, controlando o acesso dele com seu corpo. Se você não quer que seu cachorro passe por uma porta, fique de pé. Se você não o quiser no sofá, fique de pé. Se você quer tirá-lo de um lugar, tome o espaço dele empurrando-o com autoridade para longe.

b) Tome a iniciativa

 

Para dar limites ao seu cão é preciso enfatizar que você é o Líder. Uma ótima maneira de fazer isso é criar a regra de que você sempre passa por uma porta primeiro.

Você pode começar ensinando-o na coleira, fazendo com que ele pare e espere cada vez que você for entrar em casa. Depois de passar, então você o convida a seguir seus passos.

Acredite, ensinar seu cão a esperar nas portas é uma ótima maneira de ajudá-lo a aprender como segui-lo como Líder.

c) Ensine seu cão a ter paciência

 

O que acontece quando o seu cão o vê pagando um petisco? É muito provável que ele se agite, pule ou comece a latir até que recebê-lo. Acertei?

Isso acontece porque você, sem querer, o ensinou a fazer isso. É provável que tudo tenha começado nas primeiras vezes que você fazia festa e encorajava os pulos por achar aquilo uma fofura.

O que acontecerá se ele, por exemplo, fizer isso quando alguma visita estiver comendo na sua casa? E se ele, na euforia, tomar algum alimento das mãos de uma criança?

Neste caso, você precisa treinar novamente o seu cão para não entrar nesse estado de agitação até que você permita, mesmo se você estiver segurando a guloseima bem na frente dele.

Quando um cão começa a se antecipar, isso significa que ele acha que se agitar faz com que você dê a ele a recompensa. Então você precisa ensiná-lo que é justamente o contrário: você dará o petisco somente quando ele esperar calmo e submisso.

Para treiná-lo, sempre que ele começar a latir e se agitar antes de você entregar o petisco, só o ofereça quando o cão não mostrar qualquer sinal de antecipação e agitação. Para completar combine o ato de entregar o petisco a um comando como “muito bem!”.

Isso também ensinará o seu cão a olhar para você esperando pelo sinal de que não há problema em fazer algo em vez de apenas agir por conta própria.

É esse tipo de atitude que irá construir sua confiança e respeito por você. Isso, por sua vez, irá ajudá-lo a aprender a respeitar os limites que você definiu.

d) Corrija no momento certo

 

Tal como acontece com todos os outros comportamentos do cão, a chave para criar o limite é o momento adequado para corrigir o seu cão quando ele o atravessa.

Se você está tentando ensinar seu cão a ficar fora do sofá, não adianta nada corrigi-lo enquanto ele está nele. Ele não conectará a correção a estar no sofá. Em vez disso, ele vai conectá-lo a qualquer estado de espírito que ele esteja no momento.

Defina algum sinal que represente a mensagem “não faça isso”. Esse sinal pode ser um “não!” ou algo parecido, desde que você o use sempre. Use esse sinal quando o cão estiver prestes a cometer o comportamento impróprio.

No caso do sofá, é o instante em que ele começa a pular nele. Isso conectará a correção à ação e estabelecerá firmemente na mente do seu cão o que ele está fazendo errado.

e) Seja consistente

 

Depois de determinar as regras, limites e limitações, você precisa ser consistente em duas coisas: uma é manter o que foi definido. A outra está em ser consistente nas exceções.

Tudo bem se você decidir que seu cão pode ficar no sofá só desta vez, mas claramente tem que ser a seu convite. Isso é semelhante a ensinar o cão a esperar, ele saberá quando você convidá-lo para o território, mas entenderá que não é permitido invadir.

Além disso, todo ser humano na casa tem que impor os mesmos limites. Se alguém não fizer isso, vai confundir o cachorro. Ou pior, fará o cão pensar que a pessoa que não está impondo os limites é subserviente a ele.

Conclusão

Lembre-se, os cães são feitos para trabalhar e esperam que digamos o que eles devem fazer. Se essa comunicação estiver alinhada, ele naturalmente fará o que você deseja.

Para isso acontecer ele precisa reconhecer em você uma liderança forte, além de conhecer as regras, limites e limitações existentes.

No fim, o objetivo deles é ajudar o bando a sobreviver e eles fazem isso justamente ajudando o Líder.

Siga essas etapas e você criará o equilíbrio definitivo na sua casa!

 

artigo-desktop-2

O que você achou??

3 points
Upvote Downvote
Ruff Ruff

Escrito por Ruff Ruff

Em tudo o que fazemos nós acreditamos em desafiar o tradicional pensando o estilo de vida com nossos cães de forma diferente. Desafiamos o tradicional criando produtos muito bem projetados, feitos para durar e que proporcionam momentos especiais entre você e seu cão. Acabamos naturalmente fazendo produtos fora de série para cachorros, mas pensando no estilo dos donos. Quer conhecê-los?

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comments

8 imagens de um cachorro com pelagem incrível

10 imagens provam que a amizade canina é a melhor