in

MARÇO AMARELO: Tratamento da Doença Renal Crônica

Sabia que março é o mês de conscientização da Doença Renal Crônica? Uma doença que pode atingir cães e gatos.

Olá!! Aqui é a Cintia Pinheiro, da @animalz.oficial, e hoje o nosso assunto é o Março Amarelo, que nos traz um forte alerta para  doença renal crônica em cães e, principalmente, gatos. Você já ouviu falar?

A Doença renal crônica (DRC) define-se como uma síndrome clínica caracterizada pela perda progressiva das unidades funcionais dos rins, os néfrons, que evolui por um período extenso, geralmente por meses ou anos. O rim é responsável por ajudar manter o balanço eletrolítico do corpo, produzir certos hormônios, regular muitos eletrólitos do corpo e excretar produtos residuais pela urina. Embora a DRC não seja uma doença curável ou reversível, o suporte apropriado e tratamento podem aumentar a qualidade de vida e, prolongar a sobrevida do animal pela diminuição da sua progressão.

Photo by Alireza Attari on Unsplash

MARÇO AMARELO: Tratamento da Doença Renal Crônica

Como é o tratamento da doença renal crônica?

A doença ocorre quando há danos permanentes e irreversíveis nos rins e você pode entender os detalhes sobre as causas e a frequência da doença renal crônica em gatos NESTE POST do nosso Blog.

Se a causa específica for identificada, o tratamento pode ser possível para deter a progressão da doença. Na maioria dos casos, o tratamento é sintomático e de suporte. Alguns gatos podem necessitar de fluidoterapia para corrigir a desidratação (e talvez anormalidades eletrolíticas), mas, uma vez estável, o tratamento visa apoiar a função renal e minimizar as complicações da doença. Apesar da terapia, a doença não pode ser revertida e, na maioria dos casos, também progride com o tempo.

O manejo ideal da doença renal crônica geralmente requer exames em intervalos regulares para identificar complicações ​​à medida que elas surgem. A modificação dietética é importante em gatos com esta doença para melhorar a qualidade de vida e retardar a progressão da doença, mas outros tratamentos podem ser importantes, dependendo das necessidades individuais.

Manejo Dietético

O manejo dietético para gatos com doença renal crônica é fundamental, e há três aspectos principais para isso:

  • Ingestão de água

Gatos com DRC têm maior probabilidade de ficarem desidratados (devido à capacidade reduzida dos rins em conservar a água). Manter uma boa ingestão de líquidos é, portanto, essencial e pode ajudar a retardar a progressão da DRC. Como os gatos obtêm grande parte de sua ingestão de água de seus alimentos, sempre que possível, os gatos com DRC devem ser alimentados com alimentos úmidos ao invés de alimentos secos.

  • Teor de proteína

Uma dieta ideal para um gato com insuficiência renal deve ter um conteúdo proteico restrito. Muitos dos compostos tóxicos que se acumulam no sangue na DRC são um resultado da quebra de proteínas, e alimentar uma dieta com baixa proteína ajudará a minimizar isso e melhorar a qualidade de vida. A restrição proteica tem que ser realizada com cuidado, já que muito pouca proteína pode ser extremamente prejudicial para a saúde geral do gato.

  • Baixo teor de fosfato

Restringir o teor de fosfato da dieta parece ser muito benéfico na proteção dos rins de danos adicionais em gatos com DRC. Embora a restrição de proteína na dieta ajude a manter a qualidade de vida, a restrição do fosfato parece prolongar a vida de gatos com DRC. Estudos sugerem que esse efeito pode ser bastante significante em gatos. Se as concentrações de fosfato no sangue continuarem altas, o tratamento adicional com medicamentos também pode ser indicado.

Por causa das exigentes demandas nutricionais em gatos com DRC, alimentar uma dieta terapêutica veterinária específica, projetada para administrar todos esses aspectos, é altamente recomendada. Estas dietas só estão disponíveis através do seu veterinário, mas têm um papel vital a desempenhar no tratamento da doença.

Photo by Erik-Jan Leusink on Unsplash

Gerenciando a mudança para uma nova dieta

Os gatos muitas vezes desenvolvem uma forte preferência por dietas específicas, e dietas de baixa proteína tendem a ser menos palatáveis. Isto significa que a mudança de gatos com DRC para uma dieta terapêutica adequada pode, por vezes, ser difícil. Por isso, separei 4 dicas importantes que podem ajudar:

  • Sempre faça uma mudança na dieta gradual – por vários dias, pelo menos, e, por vezes, durante algumas semanas, se o seu gato é muito exigente;
  • Comece por misturar uma pequena quantidade do novo alimento com a comida antiga do seu gato e certifique-se de que está bem misturado;
  • Aumente a quantidade da nova comida lentamente, uma vez que seu gato estava feliz em comer a antiga ração;
  • Aquecer a comida à temperatura do corpo (cerca de 30ºC) pode ajudar a aumentar a palatabilidade;

Na maioria dos casos, com cuidado e tempo suficientes, os gatos têm sucesso na transição para uma nova dieta, e como essa é uma parte tão importante do manejo da DRC, vale a pena dedicar tempo para isso. Se os gatos se recusarem a comer uma dieta nova, é importante que comam alguma coisa, por isso, continue a oferecer a sua dieta antiga nesta situação e contate o seu veterinário para obter mais conselhos.

Gerenciando desidratação

Usar uma dieta úmida em vez de seca é importante para aumentar a ingestão de água em gatos com DRC, mas eles ainda não consomem água suficiente para compensar o que está sendo perdido na urina. Nestes casos, medidas adicionais podem precisar ser tomadas. Estas podem incluir:

  • Certificar-se de que um bom suprimento de água fresca esteja sempre disponível, e os gatos devem ser encorajados a beber, oferecendo água de diferentes tigelas, etc.;
  • Uso de águas com sabor (frango ou atum, por exemplo) ou fontes de água para incentivar o consumo;
  • Adicionando mais água à comida (se tolerada sem afetar o apetite);
  • Uso de fluidoterapia subcutânea intermitente que pode ser administrada em sua clínica veterinária ou em algum momento no ambiente doméstico, se recomendado por um médico veterinário.
Photo by Cong H on Unsplash

Qual é o prognóstico para gatos com DRC?

Uma vez que um dano suficiente tenha sido feito aos rins para causar DRC, as alterações compensatórias e adaptações que ocorrem para tentar manter a função renal normal geralmente acabam falhando e danos renais progressivos ocorrem. A doença é, portanto, geralmente progressiva ao longo do tempo. No entanto, a taxa de progressão da doença renal varia consideravelmente entre os indivíduos e o apoio adequado e o tratamento podem aumentar a qualidade de vida dos gatos afetados e também, potencialmente, retardar a progressão da doença.

E então, gostou das dicas e orientações para o tratamento de doença renal crônica em gatos? Avalie o post abaixo e deixe seu comentário, vamos adorar responder!

Nos vemos no próximo post e lá no instagram @animalz.oficial! 🙂

O que você achou??

0 points
Upvote Downvote
Animalz

Escrito por Animalz

A Animalz é uma empresa especializada em comportamento animal, focada em proporcionar o bem-estar para cães e gatos e para toda família, através da educação.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comments

Tudo Que Você Precisa Saber Sobre Spitz Alemão

Por Que Shows Com Orcas São Cruéis