7 Motivos Para Não Deixar Comida à Vontade Para Seu Cão

in

Rebeca conta para gente alguns motivos pelos quais não devemos deixar comida à vontade para o cão. Afinal, os peludos não tem limites quando o assunto é comida!

A maioria dos tutores costuma deixar os potinhos de ração dos cachorros cheios o dia todo, pensando sempre no melhor para eles e achando que do contrário eles poderão passar fome.

Eu entendo essa preocupação. Antes de me aprofundar em comportamento canino, também achava que estava fazendo o melhor para meus cães dessa forma, mas entendendo como é o comportamento natural deles, vi que isso não é tão benéfico assim, por diversos motivos.

Conheça alguns motivos pelos quais não devemos deixar comida à vontade para o cão.

#1 Sabor

FOTO: JOHNNY DUARTE/STUDIO FOTOANIMAL

A ração disponível o dia todo acaba perdendo um pouco a palatabilidade e o cheiro, e o animal pode deixar de ter interesse no alimento. A ração exposta por muito tempo também fermenta e pode estragar.

#2 Roedores e insetos

Comida no potinho o tempo todo atrai visitantes indesejados como roedores, insetos e até passarinhos.

 #3 Aprendizado e enriquecimento ambiental

@caoequilibrista

 O maior e mais importante motivador e catalisador de processos de aprendizado na natureza é a necessidade de se alimentar, e, o trabalho para conseguir a comida é fator essencial no desenvolvimento neurológico e cognitivo de nossos cães.

Na natureza, passam horas à procura de alimento e, assim, gastam energia física e mental, o que é extremamente benéfico para eles.

Ao invés de apenas oferecer a comida no potinho, sem dificuldades, podemos oferecê-la em dispositivos que “dificultem” a obtenção, e que o cão passe seu tempo tentando procurar o alimento para comer.

Dessa forma, o cão terá alta atividade mental, desenvolvimento da coordenação motora, desenvolvimento muscular e cardiorrespiratório, além de ter algo que o entretenha durante algum tempo.

Existem no mercado, diversos brinquedos recheáveis seguros usados para esse fim, mas com um pouco de criatividade, podemos fazer muitos desses em casa e deixar o ambiente enriquecido de atividades mentais para o cão (claro que, dependendo do material, alguém deve estar com o cachorro para supervisionar a brincadeira).

petfinder

#4 Treinamento

A alimentação pode ser uma grande aliada do treinamento. Tendo mais interesse na ração, a mesma pode ser utilizada como recompensa no ensino de comportamentos, sem ter a necessidade do gasto a mais com o uso de petiscos, que normalmente são mais calóricos.

A necessidade de se alimentar é o mais poderoso meio natural de motivação, e isso, pode e deve ser usado no treinamento.

#5 Saúde

Deixando o alimento disponível o dia todo, o cão pode acabar comendo mais do que deve e ganhando peso, podendo até ter problemas de obesidade.

Do ponto de vista de saúde psicológica, também é prejudicial deixarmos alimentação à vontade. É só compararmos a uma criança, que recebe tudo o que quer na hora e quantidade que bem entende. Acaba sendo ruim para ela e para nós, não é?

E não, seu cão não irá passar fome. Assim como nós temos certa quantidade de refeições por dia e ficamos bem alimentados, com eles não é diferente. Imaginem só se pudéssemos comer o dia todo, o que seria de nossa saúde?

#6 Economia

O cão comendo mais do que deve, consequentemente os gastos com alimentação, acabam sendo muito maiores.

#7 Limpeza e higiene

 O excesso na alimentação, também acaba se tornando excesso de necessidades fisiológicas, pois o animal precisa ir ao “banheiro” mais vezes.

Photo by Maddy East on Unsplash

Então, como ofereço a alimentação para meu pet?

O ideal então é oferecer a comida para seu cachorro em horários determinados, deixá-la disponível por mais ou menos vinte minutos, e se ele não comer nesse tempo, você deve retirá-la e oferecê-la somente no próximo horário.

Dessa forma, o alimento se tornará mais interessante para o animal e ele começará a comer quando oferecido. É conveniente ter um horário certo, pois os cães gostam de rotina.

Uma maneira mais interessante ainda de oferecer o alimento, é por meio de enriquecimento ambiental (tópico 3).

Os fabricantes de ração colocam atrás das embalagens, a quantidade diária ideal de ração que o animal deve comer, de acordo com seu peso.

Pode-se dividir essa quantidade em duas ou três refeições no dia. Seguindo isso, seu pet estará bem nutrido e alimentado, sem exageros e será mais fácil acompanhar e saber os momentos que ele vai ao “banheiro”.

Para alimentação natural, que também é ótima para seu cão, é melhor consultar o médico veterinário sobre as quantidades certas e quais alimentos que podem ser oferecidos.

Lembrando que é aconselhável que a comida não tenha temperos e carnes não sejam cruas, para evitar contaminações.

Quantas vezes por dia e como você alimenta seu cachorro? Conte abaixo!

Rebeca Cianca

Escrito por Rebeca Cianca

Turismóloga por formação e cachorreira de coração. Sou adestradora, Pet Sitter e Dog Walker. Apaixonada pelos animais, amo meu trabalho e procuro sempre saber o que é melhor para nossos bichinhos queridos. Adepta do "não compre, adote", sou mãe do Calvin, um SRD adotado que fez toda diferença na minha vida :)

Comentários

Leave a Reply
  1. Eu procuro alimentar meu cachorro 2 vezes por dia, mas as vezes meu marido “libera” comida pra ele nas nossas refeições, além daquilo que servimos no comedouro. Vou mostrar este artigo pra ele pra não termos problema com o nosso Mike!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comments

Mais artigos como este:

Você mora no Rio de Janeiro? Procura por lugares pet friendly?

O Amor Cura Parte 2 – Lucy