Testes em Animais: Mas Isso Existe?

in

Carol nos conta um pouco sobre testes em animais e o selo Cruelty Free?

Fui fazer a unha.

Estava escolhendo o esmalte e esbarrei em um lindo vermelho de uma das melhores marcas do mercado sob o ponto de vista humano. E uma das piores pros animais.

– Passa esse, é maravilhoso!

Disse que eu não usava nada daquela marca, porque os produtos eram testados em animais.

Testes em Animais: Mas Isso Existe?

O salão inteiro se voltou pra mim com cara de interrogação – acho que mais por eu não ser uma pessoa muito discreta na hora de me manifestar do que pelo motivo que eu estava me manifestando.

@cachorracarol

Expliquei que boa parte dos cosméticos, antes de serem aprovados pra consumo humano, eram testados em animais como ratos, coelhos e cães beagles. Sendo que esse último nem é escolhido aleatoriamente: a raça é a mais popular na indústria por sua capacidade de perdoar. Ou seja, os cães são submetidos a reações adversas, dor e cativeiro, e ainda assim não costumam se virar contra seus algozes. Nos EUA, inclusive, existem canis que criam beagles exclusivamente pra abastecer laboratórios.

Inúmeras marcas ainda testam em animais. Algumas não testam o produto final, mas testam os ingredientes. E, dentro desses dois grupos, existem as que estão tentando evoluir e as que não estão nem aí – sem pretensão ou previsão de parar.

Reprodução internet

Hoje, já existem diversas opções no mercado, a preços bem mais acessíveis que antigamente, que contêm o selo Cruelty Free, uma indicação de que aquele produto é livre de crueldade animal.

Pra saber se as marcas que você costuma usar realiza testes animais, é só clicar aqui.

Carol Zerbato

Escrito por Carol Zerbato

Publicitária e ativista pelos direitos dos animais, Carol Zerbato já trabalhou com televisão e comunicação corporativa; foi locutora e repórter; e atuou como redatora e revisora. É criadora da Cachorra Carol - histórias em quadrinhos que retratam as relações humanos através do olhar de uma vira-lata, a fim de conscientizar a sociedade sobre a causa animal - e mãe de três filhos: Rachel, a mais velha, uma labralata; Deloris, a do meio, uma gata vira-lata adotada já adulta; e Ben, o caçula, um humano.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comments

Mais artigos como este:

Planner Pet 2019

Volta às Aulas Pet