5 Documentários Sobre Ativismo para Assistir na Quarentena

in ,

Confira aqui 5 documentários sobre ativismo para assistir durante a quarentena. Prepare o coração – e a mente – antes de assistir.

O momento é de introspecção e reflexão, principalmente sobre a maneira como lidamos e nos preocupamos com o próximo, o que inclui – ou pelo menos deveria incluir – espécies diferentes de nós.

Prepare seu coração e sua mente antes de assistir, porque a tomada de consciência provocada por cada documentário abaixo é tão cruel quanto a maneira com a qual tratamos os animais.

5 Documentários Sobre Ativismo para Assistir na Quarentena

1. Blackfish

De 2013 e disponível na Amazon Prime Video, o documentário conta a história de Tilikum, orca capturada da natureza aos dois anos de idade e explorada por diversos parques marinhos até sua morte, em 2017, aos 36 – aproximadamente, 24 anos antes de sua expectativa de vida na natureza.

No entanto e injustamente, Tilikum é mais conhecido como a orca que matou a própria treinadora, quando atacou a adestradora de animais Dawn Brancheau durante um show em 2010, do que pelos maus-tratos que sofreu: quando jovem, porém já mais robusto que as outras orcas, ainda no extinto parque Sealand, cujos tanques eram cercados por redes e não feitos de concreto, ele era trancado em um container praticamente do seu tamanho para não fugir para o mar durante a noite.

Blackfish foi, literalmente, um divisor de águas na luta pelos direitos dos cetáceos explorados pela indústria do entretenimento. Não recomendado para menores de 12 anos.

2. The Cove

De 2009 e disponível no YouTube, o documentário denuncia a caça aos golfinhos que acontece anualmente no Taiji, Japão – até então desconhecida pela maioria dos próprios japoneses.

Clãs inteiros de animais são acuados em uma baía: parte é capturada para abastecer a indústria do entretenimento, parte é morta para abastecer a indústria da carne.

A caça acontece até hoje e é incansavelmente denunciada pelo Dolphin Project, organização sem fins lucrativos do ativista Richard O’Barry, que não só participa, como foi parte fundamental para a realização das filmagens.

The Cove é um marco na história dos direitos dos animais e ganhou o Oscar de melhor documentário em 2010. Não recomendado para menores de 14 anos.

3. Jane, a mãe dos chimpanzés

De 2017 e disponível na Netflix, o documentário conta a história da primatologista, cientista, antropóloga e ativista Jane Goodall, que, quando começou a se destacar por seus estudos de campo no Parque Nacional de Gombe, na Tanzânia, não foi bem aceita pela comunidade científica.

Por ser jovem e mulher, era comum ser estereotipada pela mídia. Na época, em uma matéria da Associated Press sobre suas pesquisas, chegou a ser retratada como “loura esguia com mais tempo para macacos do que para homens”.

Com depoimentos e imagens inéditas de Jane, o documentário mostra como ela desafiou a comunidade científica quando se negou a chamar os animais que observava por números, batizando-os com nomes próprios em seus relatos; como passou pelas incertezas que permeiam a combinação entre maternidade e carreira; e como enfrentou a pressão social por não abandonar suas pesquisas e acompanhar o então marido em seu novo emprego em outro país.

Hoje, aos 85 anos, Jane é reconhecida mundialmente como a cientista que revolucionou a primatologia, mudando definitivamente a maneira como entendemos a relação entre os primatas e os humanos. Não recomendado para menores de 10 anos.

4. Tyke Elephant Outlaw

De 2015 e disponível na Netflix, o documentário conta a história de Tyke – uma elefanta africana explorada pelo Circo Internacional de Honolulu, morta com 86 tiros em 20 de agosto de 1994, depois de atacar seu treinador e fugir pelas ruas em direção ao centro da cidade.

Ela se tornou um dos símbolos da luta pelos direitos dos animais explorados pela indústria do entretenimento: após a tragédia, estados de diversos países, inclusive do Brasil, aprovaram leis proibindo o uso de animais em espetáculos circenses. Não recomendado para menores de 12 anos.

Texto relacionado: Orcas em Cativeiro: Mães que Não Podem Ser Mães

5. Born to be free

Foto: Anda

De 2015 e disponível na Netflix, o documentário denuncia a exploração e expõe o sofrimento de animais marinhos capturados da natureza para find de entretenimento sob o dilema de 18 baleias-brancas confinadas há anos em cativeiro.

Revelador e comovente, é indicado principalmente para quem tem vontade ou já cogitou ir a um parque marinho assistir a shows com animais: não há como não desistir da ideia. Não recomendado para menores de 12 anos.

Já assistiu algum desses documentários? Tem mais algum para nos indicar? Conta aqui embaixo!

Carol Zerbato

Escrito por Carol Zerbato

Publicitária e ativista pelos direitos dos animais, Carol Zerbato já trabalhou com televisão e comunicação corporativa; foi locutora e repórter; e atuou como redatora e revisora. É criadora da Cachorra Carol - histórias em quadrinhos que retratam as relações humanos através do olhar de uma vira-lata, a fim de conscientizar a sociedade sobre a causa animal - e mãe de três filhos: Rachel, a mais velha, uma labralata; Deloris, a do meio, uma gata vira-lata adotada já adulta; e Ben, o caçula, um humano.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comments

Mais artigos como este:

Cachorro Pode Comer Chocolate?

Como Evitar o Divórcio com Seu Cão Durante a Quarentena