Cães Sentem Medo? Como Ajudar?

in ,

Quando eles ficam com o rabinho entre as pernas ficamos com muita dó, né? Veja como ajudá-los!

Os animais são seres sencientes, ou seja, são capazes de sentir emoções, positivas e negativas, e capazes de reagir a um estimulo de forma consciente. Então, sim, os cães podem sentir medo e nós como tutores podemos ajudá-los com isso!

O que é o medo?

É uma emoção, uma reação diante de uma ameaça real ou não. Os animais podem sentir mais medo por características genéticas, porque não foram bem socializados no período da “janela de socialização” (já falamos sobre isso no artigo sobre as fases de desenvolvimento, veja aqui: Conheça Melhor as Fases do Desenvolvimento Canino) em que é importante que o filhote interaja com o máximo de situações, objetos e pessoas diferentes ou ainda por causa de traumas sofridos.

O sistema nervoso é o responsável por perceber e processar informações e originar comportamentos. Ele é composto de várias partes que executam funções diferentes e no caso dos cães, algumas partes suprimem outras quando estão com medo. O córtex cerebral, camada externa da frente do cérebro, é a parte racional do cérebro que tem a função de pensar e resolver conflitos e o sistema límbico (formado pela amígdala, tálamo e hipotálamo) é a parte que trabalha e gerencia as emoções, elas trabalham juntas, mas também de forma inversa, pois quando uma está ativa, a outra tende a se reprimir. Por isso que quando alguém passa por uma intensa resposta emocional (como o medo), provavelmente não consegue pensar com clareza. É assim conosco e com os cães também! E as respostas que eles têm para o medo são: fugir ou encarar (reatividade).

A reatividade, reação exagerada a algum estímulo, não é frescura e não deve ser punida. O cão está reagindo a algo do qual ele tem medo.

O medo pode ser reforçado?

Algumas pessoas dizem que se você confortar ou der petiscos a um cão enquanto ele está com medo você estaria reforçando esse medo e ele se tornaria mais medroso. Isso não é correto, pois como vimos, o medo é uma emoção e o esquema de reforço é para comportamentos: quanto mais reforçamos um comportamento, mais ele tende a ser repetido no futuro.

Então você pode confortar, brincar e distrair o seu cão em uma situação como por exemplo, um temporal. Com o tempo ele irá associar o temporal a coisas boas e o medo diminuirá.

@lola.furacao – Você pode confortar seu pet com carinho!
@apollo_myspitz – Ficando pertinho dele.
@doralicepequines – Ou brincando com ele.

Como ajudar um cãozinho com medo?

Inicialmente:

1. Identifique os gatilhos de medo, ou seja, o que deixa o cão com medo: visita? Barulho? Pessoas estranhas?⁣⁣

2. Evite, por um tempo, essas situações de medo. Se chegou visita, leve o cão para outro ambiente; se é de pessoas estranhas, passeie em um lugar menos movimentado.

@alvaro.thedog

3. Prepare um lugar seguro para o cão. Tem que ser um lugar que ele aprenda a gostar, com tudo o que ele mais gosta para que ele se sinta seguro e confortável nesse lugar.

Depois disso, o próximo passo é trabalhar pra mudar o que o cão sente. Há algumas técnicas pra isso, mas as mais indicadas, de acordo com a nossa pesquisa, são a dessensibilização e o contracondicionamento:

Dessensibilização é expor o pet ao estímulo do qual ele tem medo, mas aos poucos e de forma bem gradual! Por exemplo, se ele tem medo do aspirador de pó, deixe-o na sala e o aspirador ligado no quarto e dê petiscos e brinque. Aos poucos, aproxime-se do aspirador, sem forçar! Aos poucos é bem aos poucos, pode levar dias! O pet não pode sentir medo nesse processo, o objetivo é ele ignorar o estímulo!⁣

E o contracondicionamento é associar o estímulo que causa medo a alguma coisa que o pet goste muito. Por exemplo: medo do barulho do caminhão > associar a algo bom (que o pet já conheça) como uma massagem ou petiscos.⁣

@souologan

Dá pra usar as duas técnicas juntas, no exemplo de medo do barulho do caminhão: ir pra um lugar mais tranquilo e com o barulho longe começar uma massagem ou dar petiscos e aos poucos ir pra lugares mais movimentados e com mais barulho, sempre associando o barulho a algo bom.

Cada um dos gatilhos deve ser trabalhado assim, aos poucos e um de cada vez. Mas muitas vezes a ajuda de um adestrador positivo é indispensável.

Não temos como proteger nossos cães de tudo, mesmo que quiséssemos, mas podemos evitar situações que causem medo, prestar atenção aos sinais de que o cão está com medo, não forçar situações que sabemos causar medo e oferecer muito amor e carinho!

Essa última foto é para mostrar que dedicação vale a pena. O Dobby tem muito medo de pessoas desconhecidas e o Dipper ficava reativo com pessoas e cães desconhecidos. Com carinho e muito treino dos tutores, hoje eles conseguem conviver e brincar tranquilamente com a Joy e a Pepper e entre si, mas foram vários encontros até que conseguíssemos isso!

@dobby.thepom, @dipperdimamae e @joy.2theworld

Leia também: Bem Estar Animal e Sua Importância

Seu cachorro sente medo? Conta pra gente!

Maíra

Escrito por Maíra

Sou formada em Letras pelas FAAT - Faculdades Atibaia e "quase" adestradora. Mamily da Joy e da Pepper que me deram coragem de buscar fazer o que realmente gosto: trabalhar com animais e ajudar as pessoas a melhorarem seu relacionamento com seus pets através da educação canina.

Comentários

Leave a Reply
  1. Muito bacana o assunto aumigas ! Tenho muito medo de vento e temporal , até para passear na rua em dias que está ventando muito , quer voltar rápido e se esconde num cantinho …

    • Oii! Que bom que gostou!! A Pepper tem medo de chuva também. Algo que pode ajudar é sua mãe mostrar seu você está seguro, agindo naturalmente e tentando te distrar também com brincadeiras ou petiscos. E um treino legal é o de dessensibilização: sua mãe pode pegar o som da chuva e colocar bem baixinho de forma que não te incomode e te dar petiscos ou um brinquedo recheado, algo pra roer.. alguma coisa que você goste muito, e bem aos poucos ela vai aumentando esse som, mas de forma que não te incomode.

      Sobre o vento eu posso pesquisar mais e te escrever melhor também!

  2. Dicas importantíssimas!!! Parabéns pelo conteúdo e qualidade em tudo que escreve!!!! 👏👏👏👏

  3. Minha cachorra tem muito medo de barulhos e pessoas estranhas.
    Quando tem fogos e trovão, não quer brincar e somente deitar embaixo de uma cadeira, mesa, sofá, algo que a esconda.
    Com relação a pessoas estranhas, o medo é grande e agora com 2 anos já está aceitando ficar ao lado de pessoas estranhas desde que não falem com ela. Após o grande período de pandemia e ficar em casa sem sair, notei que ao retornar a vida social a nossa cachorra Lila mostrou não sociável com pessoas estranhas e até demonstrando certa agressividade, então estamos iniciando o processo de aproximação em passeios novamente e que não rosne para estranhos que querem falar oi para ela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comments

Mais artigos como este:

7 Cuidados Essenciais com Gatos Idosos

Bolúcias: Conheça Este Brinquedo Interativo Para Cachorros