Meu Pet Pode Transmitir o Novo Coronavírus?

in ,

Entenda qual é a relação entre a pandemia e os seus animais de estimação

O surto do novo Coronavírus é o principal assunto das mídias. Pouco mais de 3 meses depois da notificação do governo chinês à Organização Mundial da Saúde sobre uma pneumonia de causas desconhecidas, o mundo está se comportando de uma forma totalmente diferente.

As consequências à saúde são bastante comentadas, além do impacto que isso causa à economia, política e sociedade como um todo, mas aí entra uma pergunta super importante e nem tão comentada: e nossos tão amados pets?

Seja pelo pavor de que eles sejam contaminados ou pelo temor de que se transformem em vetores de transmissão, é normal ficar com medo da situação. Felizmente, não é tão complicado assim, mas ter as informações certas é fundamental para lidar com o problema.

Continue conosco e entenda melhor como essa relação se desenrola!

Índice de leitura:

Meu cachorro ou gato pode transmitir o novo Coronavírus?

Foto: Canva

Ao que tudo indica, não. Este novo Coronavírus, que já contagiou mais de um milhão de pessoas ao redor do mundo, não tem qualquer relação conhecida até agora com a transmissão por cachorros e gatos.

Antes de mais nada, vamos esclarecer bem os termos usados para falar sobre o assunto, o que te ajudará a tirar as dúvidas e entender exatamente o que cada um significa:

  • Coronavírus: diz respeito à família de vírus Coronaviridae, que tem 2 subfamílias, 5 gêneros, 23 subgêneros e algo em torno de 40 espécies.

Além de te ajudar a entender o que esses termos querem dizer, a explicação também será útil para que continuemos nosso conteúdo sem causar confusões.

Depois desses esclarecimentos, podemos dizer que de acordo com os últimos entendimentos da OMS, os cães não contraem o SARS-CoV-2, que é o novo Coronavírus.

De acordo com a página de perguntas e respostas da OMS sobre a COVID-19, não há evidências de que um cachorro, um gato ou qualquer outro animal doméstico pode transmitir a doença.

A COVID-19 é transmitida principalmente através de gotículas produzidas quando uma pessoa infectada tosse, espirra ou fala. A melhor forma de se proteger é lavar bem as mãos com frequência ou, quando isso não for possível, usar álcool gel.

É fato que ao menos dois cães foram infectados pelo novo Coronavírus em Hong Kong, mas eles eram “pacientes assintomáticos”, ou seja, não demonstraram sinais da COVID-19. Tal infecção pode ter se dado pela forte proximidade com seus tutores.

Um dos cães infelizmente faleceu depois de voltar para casa da quarentena, mas não há confirmação de que tenha sido em decorrência da COVID-19. A tutora do pet não permitiu que fosse feita uma autópsia no cão.

São pequenas as chances de que realmente tenha sido por isso, já que o pet testou fraco positivo em cinco análises nasais e orais no mês anterior. Além disso, em dois testes feitos em 12 e 13 de março, respectivamente, os resultados foram negativos.

Gatos podem contrair a COVID-19?

De acordo com um estudo do Harbin Veterinary Research Institute, na China, gatos são suscetíveis à COVID-19 e aparentemente podem transmitir o vírus a outros gatos através de gotículas respiratórias, mas sem perigo para humanos.

Houve também a ocorrência de um gato que foi infectado por seu dono na Bélgica. Esta, porém, foi uma situação em que o ser humano passou a doença para o animal, e não o contrário.

“Não existem evidências diretas de que gatos infectados podem secretar uma quantidade de vírus suficiente para contaminar pessoas”, afirmou a virologista Linda Staif, da Ohio State University, à Nature.

Ainda segundo um estudo feito por pesquisadores da Academia Chinesa de Ciências e Agricultura, que teve como base a exposição forçada ao vírus em laboratório, não houve interações reais entre humanos e animais. Isso demonstrou que gatos domésticos podem ser contagiados pelo SARS-CoV-2.

A transmissão ocorre de maneira assintomática através de gotículas respiratórias. Além disso, não foi detectada carga viral suficiente para que os bichanos pudessem servir de vetor de transmissão a humanos, como dito anteriormente.

Diferentemente dos casos em humanos, os pulmões dos gatos domésticos não apresentaram nenhum rastro de infecção.

A página da OMS também afirma não haver evidências de transmissão pelos pets em larga escala, tendo em vista que os casos citados foram isolados.

Portanto, em linhas diretas, não há associações entre o SARS-CoV-2 e a COVID-19 com os pets. Ainda assim, a recomendação é de que o contato entre pessoas infectadas e seus pets seja limitado como medida preventiva.

Existe alguma outra relação entre os animais e o Coronavírus?

Foto: Canva

Sim, mas não em relação ao SARS-CoV-2, e sim com outras espécies da mesma família de vírus, como vimos anteriormente.

De acordo com esta página da ScienceDirect, infecções do Coronavírus e parecidas com ele já foram descritas em suínos, animais de gado, cavalos, camelos, ratos, gatos, cachorros, roedores, pássaros, morcegos, coelhos, furões, visons e várias espécies selvagens, embora muitas das infecções sejam subclínicas.

Alguns vírus da família Coronaviridae estão associados aos animais, de fato, mas não aparenta ser este o caso com o novo Coronavírus, já que os casos que vimos podem ser considerados como pontos fora da curva.

Veja também: Coronavirose canina: você sabe o que é?

Quais cuidados tomar com o meu pet caso eu esteja infectado?

Foto: Canva

A precaução é válida quando se trata do SARS-CoV-2, um vírus que ainda não é conhecido em sua totalidade. Isso também passa pela proteção com nossos animais de estimação, o que pode ser feito através de algumas práticas simples e eficazes:

  • Está com sintomas de COVID-19? Então evite o contato muito próximo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), o contato deve ser limitado até que se obtenha mais informações sobre o vírus. Além disso, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos recomenda que pessoas com COVID-19 evitem “lambeijos”, pegar muito no colo e compartilhar comida. Essas são medidas preventivas que temos diante das informações até então limitadas sobre o tema.
  • Adote medidas básicas de higiene. A OIE também diz que é importante lavar as mãos antes e depois de estar próximo a animais ou de ter entrado em contato com eles, seus alimentos ou itens, além de evitar beijos, lambidas e o compartilhamento de comida.
  • Conte com a ajuda de amigos ou familiares. Se estiver contaminado, é mais seguro pedir para um amigo ou parente cuidar dos animais até que a situação tenha passado.
  • Se ficar responsável pelos cuidados, use máscara. Se não houver outra alternativa (ou você estiver com aquela saudade), adote as medidas básicas de higiene e, além disso, use uma máscara descartável.
  • Evite que o seu pet entre em contato com outros animais. O ideal é que o pet não fique próximo a outros animais pelo máximo de tempo possível, tanto dentro da sua casa quanto fora dela, de modo a conter as chances de eventuais transmissões.

Veja também: 8 dicas para driblar os desafios do Coronavírus com seu cão

Coronavírus e os pets: com os cuidados certos, tudo deve ficar bem!

Foto: Canva

A situação pode causar um pouco de espanto, mas mantenha a calma. Como dissemos, os casos de contágio entre animais foram isolados, e desde que você tome os cuidados adequados, o problema deve passar o quanto antes.

Também é importante contar sempre com fontes confiáveis e responsáveis para saber de novas informações. Fique atento, porque muitas notícias falsas, as famosas fake news, podem circular especialmente nas redes sociais e aplicativos de comunicação, como o WhatsApp.

Entre tantos cuidados, um que merece ser destacado é que você não abandone seu pet, sob hipótese alguma! Siga as recomendações de proteção indicadas anteriormente que todos estarão seguros e protegidos contra essa ameaça.

Além dos cuidados com o seu pet, reforçamos que você precisa cuidar de si próprio. Evite aglomerações, fique em casa (se possível) e sempre mantenha a higiene em dia, principalmente lavando as mãos com água e sabão ou, se não for possível, usando álcool gel.

Se for necessário sair, evite levar as mãos ao rosto, principalmente à boca, ao nariz e aos olhos. Por precaução, ao menos por enquanto, também é mais seguro evitar contato com outros animais, sejam eles de rua ou domésticos.

Nós podemos, juntos, vencer essa pandemia, que felizmente não é algo que se configure como um grande perigo para os animais de estimação. Vamos juntos contra o novo Coronavírus para que, o quanto antes, a situação possa se restabelecer!

Quais cuidados você está tomando em relação ao COVID-19 e seu pet? Conta pra gente aqui nos comentários!

Equipe Petiko

Escrito por Equipe Petiko

Para pessoas que amam seu pet. Feito por pessoas que amam os seus.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comments

Mais artigos como este:

Mais artigos como este:

NOTA D: Brasil Cai de Posição no Índice de Proteção Animal

Saiba Tudo Sobre a Síndrome Olho Seco