Será Que Você Está Pronto(a) Para Ter Um Cachorro?

in

11 coisas que você precisa saber antes de ter um cão.

É comum as pessoas escolherem um pet pela beleza, por impulso ou entusiasmo do momento. Mas muitas não param para pensar realmente em todos os gastos e cuidados envolvidos.

Ter um cachorro não é simplesmente dar ração e pronto. O que eles precisam, vai muito além disso. É uma vida que será totalmente dependente de nós, e que estará aos nossos cuidados por pelo menos 10 a 20 anos em média. Portanto, todo processo de ter um cachorro deve ser pensado com responsabilidade, seriedade e compromisso.

Veja essas 11 coisas que você precisa saber antes de ter um cão

1) Preparo da casa e dos moradores

Sua casa tem que estar preparada para receber o cão, sendo segura para ele. A residência deve ser à prova de fugas e os equipamentos e locais que possam causar risco à saúde dele devem estar fora de seu alcance.

Além disso, ele deve ter um espaço próprio para ele na casa, sempre limpo, de preferência uma casinha que seja só dele para que se sinta seguro e protegido ali e também deve ter um local separado e longe de sua cama, água e comida para que possa fazer suas necessidades. Todos os moradores da casa também têm que estar de acordo com a chegada do cachorro e cientes de todas as responsabilidades e necessidades envolvidas;

2) Passeios regulares e rotina ideal

Todo cão precisa passear! Mesmo que seu quintal seja enorme, eles têm naturalmente a necessidade de explorar, além de precisarem de atividade física e o passeio é uma das melhores formas de realizar além da atividade física, também a mental e a social.

Todas estas, serão essenciais na rotina diária do seu cão e fazem parte do que é considerada uma rotina ideal. Nesse outro texto explico mais a fundo qual a importância de suprir necessidades básicas para que seu cão tenha uma rotina ideal e seja mais feliz e equilibrado. Devemos estar cientes do tempo gasto e da necessidade de propiciar essas coisas todos os dias para nossos cães.

3) Importância da socialização

Tempo deverá ser investido em socialização (Entenda mais no texto: A importância de socializar seu cão). Ela pode prevenir uma série de problemas comportamentais e então é fundamental que apresentemos nosso cão filhote ao máximo de estímulos possível, aproveitando a fase da janela da socialização (em média dos 60 aos 120 dias de vida). A socialização é parte essencial da vida de um cachorro.

Apresentá-lo e fazê-lo ter contato positivo (sempre!), harmonioso e gradual com outros cães de diversos tamanhos e raças, com animais de outras espécies, adultos e crianças, barulho de fogos de artifício, carros, ônibus, aspirador, secador, cortador de grama, pet shop, veterinário, banho e tosa, pisos diferentes, enfim, com o máximo de situações, ambientes, animais, sons e estímulos que pudermos imaginar é extremamente importante.

Lembrando que devemos respeitar o tempo e os sentimentos do cachorro, para que nada seja “demais para ele” e não ocasione um trauma, por isso é bom que o processo seja acompanhado por um profissional.

No caso de cães adotados já adultos, essa socialização também é importantíssima, porém, por já ter um provável histórico com diversos estímulos, podendo ter desenvolvido algum medo ou agressividade, é interessante que ela seja feita de forma mais gradual ainda e com a presença de um profissional para auxiliar e fazer com que o processo seja o mais positivo possível.

4) Conhecer a raça

Toda raça tem sua particularidade e cada uma têm necessidades diferentes. Algumas precisam de mais cuidados com pelagem, mais exercícios, outras menos, outras precisam de maiores cuidados no calor, algumas têm instintos como a caça mais aguçados e etc.

Várias são mais propensas naturalmente a certas doenças, por exemplo, em Pastores alemães é comum a displasia coxofemoral e em Dachshunds são comuns problemas na coluna.

Pugs, Boston terriers, Buldogues e outras raças de focinho achatado, tem uma dificuldade natural para se resfriar e respirar, portanto precisam de atenção quanto a isso.

Cada raça foi desenvolvida para auxiliar os humanos em trabalhos específicos (a princípio) como caça, pastoreio, corridas, guarda e até rinhas. Huskys siberianos, por exemplo, são cães do grupo de raças primitivo (o mais próximo geneticamente dos lobos) e têm habilidades de tração, ou seja, precisam de muito exercício e certamente puxarão bastante usando um peitoral, além de serem geneticamente preparados para viver em climas mais frios e não quentes.

Foto: thestarphoenix.com

Enfim, a lista de particularidades de cada raça vai longe e este não é o tema neste momento, mas vale ressaltar, portanto, que devemos pesquisar muito sobre a raça antes de adquirir um cão somente pela beleza, tamanho ou status.

E temos que estar cientes de todas essas particularidades, pois apesar de hoje em dia a maioria dos cães não serem mais utilizados para muitas das tarefas para as quais foram criados anteriormente, cada habilidade desenvolvida para essas tarefas está ainda em seus genes, e, seguramente eles precisarão expressar de alguma forma esses comportamentos naturais. A falta de um meio alternativo de extravasar essas necessidades naturais poderá gerar problemas comportamentais muito sérios no futuro.

Cuidado especial para raças fortes, grandes e criadas para rinha e guarda deve ser tomado, pois se mal socializados, sem suas necessidades básicas supridas e instintos naturais redirecionados, poderão se tornar agressivas e obviamente muito perigosas.

5) Avaliar o nível de energia do cão

Também depois de conhecer a raça ou mesmo sendo um vira-lata, é importante avaliar o nível de energia daquele cão para ver se combinará com o seu. Se for um cão muito agitado e você é uma pessoa menos ativa ou se você for um atleta e o cão tiver energia baixa, certamente a combinação não será muito boa.

Com níveis de energia parecidos, a relação com seu futuro cão será muito mais bem sucedida e ele e você terão mais bem-estar e qualidade de vida juntos.

6) Conhecer o histórico

Principalmente se for adotar um adulto, é importante conhecer, dentro do possível, o histórico daquele cão. Ele pode ter vindo de situação de maus tratos, ter medo ou até ser agressivo e você deve estar preparado para lidar com essas condições se for adotá-lo. Precisará de muita paciência e amor e poderá vir a precisar de auxílio profissional. Esses cães normalmente já sofreram muito e precisam de uma nova oportunidade de uma boa vida.

7) Ter cuidados com a saúde

Foto: NEstudio / via Shutterstock

É importante ter um profissional veterinário de confiança e levar seu cão para visitas regularmente, para que a saúde dele fique sempre em dia. Além das idas ao consultório para tomar vacinas e cuidar da saúde geral, seu cão precisará de vários outros cuidados, como banhos, (dependendo da raça, de cuidados especiais com a pelagem), de remédios para pulgas e carrapatos, vermífugos e outros medicamentos que possam vir a ser necessários.

O tempo de efeito de cada tipo de remédio para pulgas, carrapatos e vermes tem uma duração diferente, mas todos precisam ser renovados regularmente, então, o gasto com esses será constante. E as vacinas também, precisam ser renovadas anualmente.

8) Gastos

Será preciso gastar com coleira, guia e com ração de boa qualidade, que tenha os níveis protéicos e energéticos diários que seu cão precisa, além dos gastos já citados com saúde, banhos e demais acessórios, que também serão necessários.  

É aconselhável que o cachorro tenha também, uma plaquinha de identificação com o nome e telefone na coleira. Filhotes precisarão de coisas que possam roer, pois têm naturalmente esta necessidade, principalmente durante a troca de dentes, e adultos precisam também de brinquedos, coisas que possam morder e se entreter, que estimulem sua capacidade mental e auxiliem no tédio, ansiedade, etc. (Entenda mais sobre estímulo da capacidade mental neste texto sobre Enriquecimento ambiental)

9) Carinho e atenção

Esse é uma das coisas mais óbvias e normalmente uma das principais que as pessoas estão dispostas a dar. Seu cão precisará de atenção e carinho (claro!), no entanto, nisso se incluem também as brincadeiras, passeios, cuidados e tempo que você gastará para estar com ele! Não é só dar carinhos na cabeça de vez em quando ou comprar centenas de brinquedos para que ele brinque sozinho! Devemos mostrar que estamos ali por eles sempre, afinal o amor deles por nós é sem medidas e queremos vê-los felizes.

Foto: dawesvilledogwalker.com

Apesar de ser nosso favorito, o carinho não é a única coisa que eles vão precisar: eles devem ter carinho nos momentos certos sim, mas precisam ainda de regras e limites para uma boa convivência. Temos que estar atentos a isso também.

10) Castração

Uma das coisas que devemos considerar antes de ter um animal são o gasto com castração e os benefícios da mesma. Recentemente escrevi um texto falando dos sobre castração e explicando por que devemos castrar nossos animais. Para entender melhor, recomendo a leitura. Entre os benefícios e razões citados estão saúde e prevenção de diversas doenças, melhorias comportamentais e evitar a superpopulação de animais abandonados causada pela reprodução descontrolada.

11) Educação

Foto: www.akc.org

A educação canina deve focar principalmente na prevenção de problemas de comportamento, ou seja, deve começar desde que os cães são filhotes ou a partir do primeiro momento que chegam em casa.  É preciso ter noção de que tempo também deverá ser gasto nessa educação e que o cão não pode chegar fazendo tudo o que quer e deve ser ensinado do básico em obediência e regras, para que problemas não venham a acontecer no futuro e para que a convivência do cão com a família seja sempre o mais harmoniosa possível.

Como você pôde ver, ter um cão exige investimento não só de dinheiro, mas de tempo também! Não pegue um cão para você só por ser bonitinho e simpático, mas esteja ciente de toda responsabilidade que é cuidar de uma vida! Isso vale para qualquer pet, não só cães.

Se você já tinha um cão antes de conhecer essas necessidades, agora você já sabe e pode dar uma vida de mais qualidade ainda para ele, afinal eles são nossos melhores amigos e nos amam incondicionalmente.

 

 

 

 

Rebeca Cianca

Escrito por Rebeca Cianca

Turismóloga por formação e cachorreira de coração. Sou adestradora, Pet Sitter e Dog Walker. Apaixonada pelos animais, amo meu trabalho e procuro sempre saber o que é melhor para nossos bichinhos queridos. Adepta do "não compre, adote", sou mãe do Calvin, um SRD adotado que fez toda diferença na minha vida :)

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comments

Mais artigos como este:

Escaras de Decúbito, os Famosos Calos no Cotovelo que Quase me Enlouqueceram!

Tudo Que Você Precisa Saber Sobre Comedouros Interativos Para Gatos