Cuidados com brinquedos caseiros para seu cão

Antes de oferecer um brinquedo caseiro para seu cachorro, é preciso ter cuidado com alguns detalhes. Confira no conteúdo a seguir e garanta o bem-estar do seu pet.

Não existem apenas as opções de brinquedos citadas até o momento; os brinquedos caseiros são ótimas alternativas, mas eles devem ser feitos de forma segura para o cão. Por isso, temos que levar em consideração algumas coisas. O mais importante é quais os materiais a serem usados. Não devem ter tintas tóxicas ou pequenos pedaços de plástico, papel ou qualquer material que possam ser engolidos.

Os brinquedos devem ser usados ​​com supervisão. Quando ele começar a quebrar, deve ser jogado fora. Não espere que ele quebre e o cão se machuque. Da mesma forma, quando são usadas peças de materiais rígidos, devemos ter cuidado com as arestas afiadas, pois podem cortar o animal, por isso, temos que protegê-las.

Antes de dar um brinquedo ao cão, você deve primeiro saber como usá-lo. Deixe-o examiná-lo e experimentá-lo no seu próprio ritmo, sem ensinar-lhe como fazer as coisas ou dar ordens. Comece dando brinquedos muito simples e aumente o nível de dificuldade pouco a pouco.

Os materiais mais usados como brinquedos caseiros são caixas de papelão, cubos de gelo, garrafas PET e bolas de meia. Todos são muito simples de preparar e o cão vai adorar.

  • Gelo: Os cães adoram brincar com gelo! Uma boa opção é fazer as pedras de gelo com algum petisco ou fruta dentro, ou até mesmo colocar algum brinquedo no freezer por alguns minutos (higienize bem antes!). Você também vai se divertir ao vê-lo brincar!
  • Papelão: Pode ser qualquer caixa, rolo ou material de papelão. O objetivo é destruir tudo mesmo! Deixe-o à vontade para rasgar e fazer bastante bagunça. Outra opção é colocar petiscos ou brinquedos dentro.
  • Meia enrolada: Pegue uma meia antiga e a enrole, pode ser apenas em formato de bola ou também com uma série de nós aleatórios. Como é um objeto macio, eles vão morder bastante e se distrair por muito tempo.

Outra maneira de brincar com a meia é recheando ela; você pode colocar alguns petiscos dentro antes de enrolá- la. Uma ótima distração e estímulo mental.

  • Garrafa PET: Lave a garrafa PET, retire o rótulo, a tampa e o anel de lacre. Pronto! Uma ótima distração por muito tempo. O desafio é morder e destruir a garrafa.

Faça um ou dois furos laterais (nas primeiras vezes, para facilitar o entendimento, faça buracos grandes; depois pode aumentar a dificuldade diminuindo as aberturas). A garrafa pode ser usada com tampa ou não, vai depender do tamanho da ração e da facilidade que o cão vai conseguir tirar a comida.

  • Coco verde: Perfure o coco de uma extremidade a outra e passe uma corda amarrando-o. Pendure-o com a outra ponta da corda e recheie com petiscos. Ou, sob observação constante, deixe o coco inteiro (e higienizado) para que o cão brinque com ele e o destrua.
  • Fileiras de tampinhas: Você pode juntar tampinhas das garrafas PET (sem o anel de lacre), perfurá-las no centro e passar um barbante por elas, formando uma fileira. Você pode pendurar na posição vertical e fazer um nó no barbante para que a última tampinha fique presa, prender a outra extremidade em um local mais alto e colocar petiscos em todas elas (evite alturas grandes para não prejudicar as articulações do cão).

Brincadeiras

Cachorro correndo e brincando
Foto: Canva

O cão sempre fica mais feliz e mais estável quando o tutor brinca com ele. As brincadeiras devem ser diárias, pois proporcionam muitos benefícios tanto no sentido físico, quanto emocional e mental. Estes são alguns dos benefícios:

  • Ajuda a evitar o estresse
  • Desenvolve sua inteligência
  • Melhora sua agilidade e flexibilidade
  • Melhora as articulações
  • E, principalmente, cria uma ligação mais próxima com o tutor

Brincadeira 1: Pista com obstáculos

Podem ser usadas cadeiras, vassoura, ou qualquer outro objeto que tenha em casa. Mesmo que o espaço seja reduzido, não tem problema. Os petiscos podem ser usados como recompensa sempre que ele ultrapassar esses obstáculos.

Brincadeira 2: Encontrando objetos

Alguns objetos, como os brinquedos preferidos do cão, são escondidos pela casa. Assim que estiver tudo pronto, o tutor diz para ele procurar os objetos. Caso ele não os encontre, o tutor o leva até o local do “esconderijo” e o ensina a buscar os brinquedos.

Brincadeira 3: Esconde-esconde

Além de uma ótima atividade mental e física para o cão, o tutor
também vai se divertir! No começo, ele vai seguir a voz e o movimento do tutor,
mas aos poucos vai começar a usar o olfato para procurá-lo. É um ótimo estímulo
para o instinto deles!

Brincadeira 4: Caça ao brinquedo

Algum brinquedo que o cão goste de brincar é amarrado em uma extremidade de um fio ou de uma corda. O tutor se esconde atrás de uma porta, armário ou parede e deixa o objeto visível. Quando o cão se aproximar, o tutor usa o fio para puxar o brinquedo. O cão irá tentar pegá-lo e criará estratégias para que a atividade seja concluída e ele consiga tomar posse do objeto. 

Brincadeira 5: Pega e trás

Como já visto anteriormente, a dinâmica dessa brincadeira ajuda a criar um vínculo maior entre o tutor e o cão. Pode ser usado desde brinquedos até mesmo um graveto ou qualquer objeto que o cão goste.

Brincadeira 6: Cabo de guerra

Uso de uma corda ou mesmo algum brinquedo que
possa ser puxado pelo tutor. É importante deixar o cão ganhar algumas
vezes, mas não sempre, para não instigar uma possível agressividade
ou dominância.

CUIDADOS

Cachorro brincando com sua tutora
Foto: Canva

Cuidado 1: Seja qual for o brinquedo, se ele soltar pedaços, se formar farpas ou cerdas e estas forem arrancadas ou caírem com facilidade, o brinquedo deve ser retirado imediatamente.

Cuidado 2: Se o cão demonstrar desconforto ao brincar, verifique se os dentes e gengivas estão saudáveis, se não há sinais de inflamação, vermelhidão, dentes moles (principalmente no caso de cães idosos e filhotes), ou excesso de placa bacteriana. Fique de olho também se o cão está vomitando muito e se as fezes não estão com sangue.

Cuidado 3: Qualquer brinquedo que for reduzido a um tamanho suficiente para caber inteiro dentro da boca, deve ser jogado fora. Existe o sério perigo de ser engolido podendo sufocar ou até ter parte do aparelho digestivo bloqueado.

Cuidado 4: É importante observar como o cão interage com o brinquedo até ter certeza de que é seguro para ele.

Cuidado 5: Nunca dê brinquedos parecidos com seus objetos, como por exemplo um chinelo, para que o cão não fique confuso e associe que todo chinelo é um brinquedo.

E lembre-se: nenhum brinquedo é indestrutível. Assim que o brinquedo rasgar, perder um pedaço ou tiver seu tamanho reduzido o suficiente para caber inteiro dentro da boca, jogue-o fora imediatamente.

E por último, jamais subestime a importância dos brinquedos. Muitos problemas comportamentais podem ser evitados com o enriquecimento ambiental e o gasto de energia adequado. Um cão cansado é um cão feliz!

O Laboratório de Inovação da Petiko está sempre desenvolvendo brinquedos incríveis, que conquistam os corações dos pets – como os brinquedos 2 em 1, as pelúcias e, até mesmo, as cordas que fazem tanto sucesso. Por isso, em todo BOX.Petiko há:

  • Surpresa e felicidade em cada BOX;
  • Alimentação pet indicada e aprovada para cada espécie;
  • Enriquecimento ambiental com foco no instinto e bem-estar de cada pet;
  • Possibilidades infinitas para se divertir com seu pet, além de fortalecer a amizade e a confiança entre vocês.

Leia também:
Enriquecimento Ambiental: Desafios Físicos e Mentais para seu Cão
Gatificação: Enriquecimento Ambiental para Gatos
Qual o melhor brinquedo para filhotes?
São Bernardo: Saiba Tudo Sobre Essa Raça de Cachorro

Piero Giuntoli

Escrito por Piero Giuntoli

Apaixonado por cães desde pequeno, o adestrador e especialista em comportamento canino Piero Giuntoli é formado em Publicidade e trabalhou durante sete anos no setor de entretenimento e produção audiovisual.

Em 2014, após decidir mudar de área e se especializar em psicologia canina, criou a FitDog Adestramento & Consultoria Comportamental com o objetivo de melhorar a convivência entre famílias e cães, com qualidade de vida e reduzindo assim a possibilidade de rejeição e de abandono.

Site: fitdog.com.br

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comments

Mais artigos como este:

Mais artigos como este:

Cachorro segurando sua coleira

Coleira: saiba como escolher a melhor para seu pet

Filhote de cachorro brincando de morder

Dicas para lidar com mordidas de filhotes